A neurociência é a ciência que estuda como o cérebro humano se comporta em uma série de situações diferentes. O que antes só era possível em pacientes mortos hoje acontece com pessoas vivas submetias a determinadas situações, o que permite entender mais sobre o comportamento humano e seus padrões.

Além de todos os benefícios científicos envolvidos nessa ciência há também vantagens diretamente relacionadas ao ambiente de organizações.

Atualmente, essa ciência vem auxiliando o desenvolvimento de pessoas dentro das organizações em diferentes níveis. A seguir, veja como isso acontece.

Estimula o processo de aprendizagem

O estudo do funcionamento do cérebro realizado pela neurociência já trouxe avanços importantes para a compreensão de como acontece o aprendizado. Esse tipo de descoberta é relevante para o desenvolvimento de pessoas dentro da organização porque favorece a realização de treinamentos e capacitações, tornando-as mais efetivas. Ao aplicar as técnicas certas, como a aprendizagem experimental, o resultado é que a empresa precisa dedicar menos recursos para obter resultados melhores do ponto de vista de aprendizagem de seus colaboradores.

Diminuição dos níveis de estresse

Um levantamento da International Stress Management Association revelou que, em 2012, o Brasil era o segundo país com maior nível de estresse em todo o mundo. Esse resultado, inclusive, se mostrou especialmente verdadeiro para o ambiente profissional.

Colaboradores estressados tendem a ter menos motivação e menos produtividade, mas, principalmente, têm menos foco. Isso significa que quanto maior é o nível de estresse no trabalho e no ambiente em geral, menos os colaboradores investem em melhorar seus comportamentos e atuações.

A neurociência vem para ajudar isso, levando a uma diminuição dos níveis de estresse por ajudar o colaborador a entender e controlar os gatilhos que disparam uma situação reconhecidamente estressante.

Favorece o desenvolvimento de habilidades de liderança

O líder tem um papel cada vez mais importante dentro das organizações. Com o trabalho colaborativo e em equipe ganhando mais destaque, é progressivamente mais importante ter líderes que atuem de modo a garantir fortalecimento de relacionamentos.

Para que isso seja possível, o líder moderno precisa desenvolver algumas habilidades, como empatia, capacidade de comunicação e senso de justiça apurado. O papel da neurociência nesse processo é facilitar e fornecer meios para que essas habilidades sejam desenvolvidas de maneira mais rápida e mais eficiente.

Ajuda na gestão adequada de recursos humanos

Não são apenas os colaboradores, gestores e líderes que se beneficiam da neurociência. O departamento de recursos humanos também se torna mais efetivo em suas funções de gestão de capital humano, reconhecendo mais facilmente necessidades e fraquezas de colaboradoras. Dessa forma, fica mais simples para o setor realizar as atividades necessárias para otimizar o desempenho e desenvolvimento de cada colaborador. Além disso, a aplicação de algumas técnicas de neurociência também facilita a realização do processo seletivo de maneira geral. Para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações isso é benéfico porque quanto mais cedo o colaborador certo ocupa a vaga adequada, mais rapidamente ocorre seu desenvolvimento pessoal e profissional.
Ao compreender os comportamentos humanos e os padrões de funcionamento do cérebro a neurociência tem dado subsídios para que o desenvolvimento de pessoas dentro das organizações se torne mais simples e mais assertivo.

Ricardo A. M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting, professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, Consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já atuou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Sua organização já está utilizando a neurociência em algum nível? Comente e participe.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

*