Ter uma cultura de inovação na empresa é importante para vencer os concorrentes ao se destacar no mercado. Porém, nem toda novidade é tão simples de ser implantada e nesse caso é preciso que haja uma gestão de mudança.

Essa gestão é a responsável por garantir que os resultados desejados sejam obtidos e, principalmente, que o processo transcorra sem ocorrências, tanto quanto possível. Para isso, é preciso clareza e alinhamento da liderança. A seguir, entenda mais sobre o assunto.

O papel da liderança na gestão da mudança

Quando os colaboradores são colocados diante de uma mudança de paradigma, ainda que seja para a otimização de suas funções, é muito comum que haja uma resistência. Mesmo que seja pequena, essa resistência à mudança pode atrapalhar e, algumas vezes, inviabilizar o processo.

É nesse momento em que entra a liderança. Com uma postura firme e, principalmente, de orientação, a liderança consegue promover o engajamento necessário para que a mudança se estruture e se concretize.

Mais do que apenas delegar tarefas e incluir responsabilidades, a liderança deve agir de modo a oferecer segurança no período de transformação. Além disso, os líderes devem mostrar a importância das mudanças e como elas beneficiarão a todos de algum modo.

Outro ponto importante é que a liderança precisa estar alinhada também a mudança em si. Se a liderança não for capaz de acreditar na mudança e se não conhecer todas as suas etapas o processo se torna confuso e pouco transparente.

A necessidade de transparência para o sucesso

Por falar nisso, a transparência é um dos elementos mais fundamentais quando o assunto é a gestão da mudança. É somente com um processo claro e bem definido que todos os envolvidos conseguem acompanhar quais transformações já estão concluídas e quais são os próximos passos, por exemplo.

Além disso, a transparência é importante para demonstrar os níveis de engajamento de todos os envolvidos. Um processo obscuro, por outro lado, pode diminuir a motivação, a produtividade e comprometer a implantação correta dessas transformações.

O ideal é que, especialmente nesse período, a comunicação interna seja reforçada de modo que todos possam tratar de seus desafios, dúvidas e questionamentos acerca do processo em si.

A definição de indicadores como fator estratégico

Mesmo contando com o engajamento de todos os envolvidos, a realização de mudanças dentro de um negócio pode não sair como o planejado. A implantação de uma nova solução pode encontrar barreiras ou se chocar com sistemas existentes de maneira que não fora prevista. O quanto antes essas questões forem identificadas, mais rapidamente a gestão pode agir de modo a garantir um processo com menos imprevistos. Sendo assim, é fundamental que a gestão de mudanças esteja intimamente ligada a uma definição de indicadores de resultado.

Baseando-se nessa análise a gestão pode agir de modo a garantir que o processo ocorra sem ou com o mínimo de prejuízos para o negócio e para os colaboradores.

Com clareza, alinhamento da liderança e definição de indicadores a gestão da mudança tem mais chances de oferecer exatamente o que foi planejado inicialmente.

Ricardo A. M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting, professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, Consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já atuou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Para chegar ao resultado desejado, aproveite e conheça também nosso curso de Gestão de Mudanças e saiba como aplicá-la corretamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

*