Um planejamento financeiro efetivo é aquele que considera os objetivos do negócio, a disponibilidade de recursos e as melhores ações para ter o máximo de aproveitamento. Ele diz respeito, portanto, ao uso correto do dinheiro, favorecendo o empreendimento.

Isso é fundamental para o desenvolvimento organizacional, já que financia e sustenta o crescimento, além de aumentar as chances de obter maior competitividade.

Por causa disso, reconhecer as características de uma gestão financeira empresarial de qualidade faz toda a diferença. A seguir, veja quais são os pontos mais importantes desse elemento e entenda por que cada um dele fazer parte do processo.

Reconhecimento da situação atual

Qualquer ação da gestão financeira empresarial tem que considerar um ponto relevante: a situação atual do negócio. Somente ao entender as condições presentes que a gestão conseguirá definir quais são os objetivos e os interesses para o futuro.

Se ela está sofrendo com a queda das vendas atualmente, por exemplo, o plano financeiro de uma empresa tem que considerar essa questão. Com isso, as ações serão voltadas, no curto prazo, para reverter o quadro.

Já se os resultados se mostram vantajosos, então é necessário dar preferência para usar os recursos de modo a sustentar o crescimento e a diferenciação.

A partir do reconhecimento, é possível compreender quais são as questões que merecem maior atenção e quais objetivos devem ser traçados.

Elaboração de orçamento

O uso correto do dinheiro é fundamental para que o planejamento seja cumprido, dentro do possível. Para tanto, é relevante fazer a elaboração de um orçamento. A ideia é construir um mapa, o qual ficará responsável por orientar qual deve ser o destino dos recursos, em diferentes situações.

Esse orçamento pode seguir vários métodos, mas ele se baseia em uma premissa básica: distribuir o dinheiro em áreas de acordo com a necessidade, com os interesses e com os objetivos selecionados a partir do reconhecimento de situação.

Essa é uma característica de um bom plano financeiro de uma empresa porque ajuda a orientar as ações.

Presença do fluxo de caixa

Uma das principais características na gestão financeira é o uso do fluxo de caixa. Ele auxilia a controlar todas as movimentações de dinheiro do empreendimento, com muita visibilidade e segurança.

Nele, ficam registradas as entradas e saídas de dinheiro e ele ainda pode ser usado de forma projetada. Assim, é possível ter uma boa ideia de como acontece o ciclo financeiro do empreendimento. Entendendo a relação entre os prazos de pagamento e recebimento, há melhor controle.

Além disso, ele é importante para um bom planejamento financeiro porque garante que haja um fechamento de caixa adequado. Assim, é possível ter visibilidade completa e, ainda, garantir que os resultados estejam de acordo com o esperado.

Ele é uma ferramenta cuja premissa é bem simples: basta lançar o que entrar e o que sair. Ao mesmo tempo, é muito poderosa porque ajuda a identificar oportunidades e ameaças, sustentando uma boa atuação.

Previsões de cenários

No mundo dos empreendimentos, nem tudo sai conforme o esperado. Pode acontecer de os resultados serem piores ou melhores do que o que foi inicialmente previsto, gerando a necessidade de atuação e de adaptação dos planos.

Para que a gestão financeira empresarial não saia prejudicada, é indispensável que haja uma preparação para as diversas condições que podem surgir.

Portanto, o melhor é fazer uma boa previsão de cenários diferentes. A ideia é avaliar o que deve ser feito, financeiramente falando, em um cenário otimista, em um pessimista e em um que siga as projeções.

A relevância desta característica é que ela deixa o planejamento muito robusto, pois ele se adapta às variadas condições que o cenário pode assumir. Assim, não é necessário refazer todo o plano e o orçamento a cada vez que a situação sofrer uma grande mudança.

Acompanhamento dos resultados

Outra entre as principais características na gestão financeira é a ocorrência do acompanhamento de resultados. Não adianta apenas planejar o que fazer, é preciso executar corretamente e acompanhar os efeitos de cada ação.

É com a definição de métricas e indicadores financeiros, por exemplo, que é possível saber como anda a efetividade de uso dos recursos e quais ações vem dando certo. Além disso, eles ajudam a antecipar problemas e a identificar oportunidades previamente.

Com uma boa análise, é possível tirar conclusões realmente relevantes e que auxiliam a tomar decisões. Com isso, o acompanhamento de resultados é capaz de deixar a gestão cada vez melhor e alinhada com o que é esperado.

Utilização de tecnologia

Um planejamento financeiro não precisa ser totalmente automatizado, mas um bom elemento do tipo conta com a ajuda da tecnologia. Um programa para fazer fluxo de caixa é um bom exemplo de uso tecnológico no plano financeiro de uma empresa.

Isso porque o uso desses recursos diminui as chances de haver erros. Com dados mais confiáveis, pode-se ter certeza sobre o uso de informações, o que ajuda a seguir por um caminho melhor e que leva aos objetivos.

Além de tudo, a tecnologia diminui o tempo necessário para executar tarefas, otimizando o processo. Portanto, é possível usar planilhas, softwares ou o que mais fizer sentido para essa abordagem, desde que elas contribuam para esse procedimento.

Capacitação dos colaboradores

Todos esses passos são absolutamente indispensáveis para que o planejamento financeiro seja elaborado de forma adequada. Porém, há um fator que ainda não foi considerado: a atuação humana.

Por mais tecnologia que haja, as decisões ainda são tomadas de acordo com as análises dos gestores e responsáveis pela parte das finanças. Portanto, é indispensável contar com bons níveis de capacitação de quem cuida dessa questão.

Por meio de treinamentos, atualizações e novos conhecimentos, é viável garantir que tudo seja executado conforme o esperado, além de aproveitar os recursos ao máximo. Unindo a capacidade técnica à elaboração e à execução adequada, o empreendimento sai favorecido e muito mais robusto.

Ter uma gestão financeira empresarial de qualidade requer antecipação, execução e mensuração. Além de tudo, o uso de tecnologia e de capital humano capacitado são fatores que ajudam a formar um bom planejamento financeiro.

Sem ele, as consequências podem ser graves. Para saber mais, veja quais são os riscos de ter um plano de finanças mal elaborado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

*