Por que mudar o plano de negócios?

Os mercados vivem constantes mudanças, as pessoas vivem constantes mudanças, as necessidades de ambos vivem constantes mudanças… já cogitou que seu plano de negócio também pode — e um dia deve! — mudar? Por mais que até hoje tenham sido colhidos apenas sucessos, tudo na vida possui ciclos e estes, por sua vez, possuem início, meio e fim.

O objetivo deste artigo é ressaltar a importância de estar disposto a realizar mudanças para alcançar seus objetivos e, para tal, preparamos 3 dicas para você repensar seu plano de negócio— confira!

Reconhecimento do que já foi conquistado

Mesmo quando é necessário mudar, é de suma importância reconhecer tudo que já foi percorrido e todos os obstáculos que já foram superados. Este processo, inclusive, pode ser um importante primeiro passo da mudança, pois esta perspectiva aumenta a motivação para encarar a próxima etapa. Por se tratar de um processo da organização como um todo, reconheça também os colaboradores e não esteja ciente somente de seus pontos que precisam ser reforçados ou que precisam de uma inovação, mas também do que anteriormente foi um ponto forte e deve continuar desta forma. A ânsia de mudar não deve nos fazer esquecer do que a empresa possui de melhor e do que foi responsável por trazê-la ao patamar de hoje.

Repensando o plano de negócio

Por vezes será necessário estar disposto a repensar seu modelo. Tenha em mente o que é positivo e deve ser mantido, mas não hesite em questionar velhos hábitos que por vezes são mantidos simplesmente por comodidade. Não é fácil se desprender de algumas práticas antigas e aventurar-se no diferente, mas rever o negócio como um todo também pode ser compreendido como a concepção de que não existem verdades absolutas, mesmo quando anteriormente elas pareciam existir. Um velho clichê diz que erros são investimentos valiosos, mas estes investimentos só trazem retornos se de fato forem assimilados, e isto exige mudanças.

Plano de negócios e a prática

Segundo dados do Centro de Empreendedorismo de Alto Impacto da Endeavor, 71% dos melhores empreendedores — cujas respectivas empresas cresceram em média 20%  ao ano nos últimos 3 anos — não possuíam um plano de negócios. Isto quer dizer que você obrigatoriamente não deve possuir um? Absolutamente não. Não existe um modelo único para organização e administração, mas padrões diversos a serem seguidos conforme a situação. Tudo é relativo, tudo depende. Ainda segundo dados da Endeavor, dentre os que possuíam um plano de negócios, 80% realizaram alterações durante a prática, o que também corrobora o fato de que se deve estar sempre atento ao meio e adaptar-se da melhor maneira possível a ele. Nem mesmo gigantes como a Apple, Google ou IBM começaram com a certeza do que seria o “carro-chefe” de seus respectivos modelos de negócio.

A sorte pode ser compreendida como o momento em que a oportunidade encontra alguém preparado, então tenha seu plano de negócio, mas, principalmente, fique atento às novas necessidades e saiba aproveitar bem as oportunidades.

Ricardo A. M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting, professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, Consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já atuou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Convencido da necessidade de sempre analisar e se necessário alterar seu plano de negócios? Ainda tem dúvidas? Deixe um comentário e participe da conversa!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

*