Se você está apenas pensando ou decidiu que gostaria de começar a administrar um negócio de atacado, há vários itens que você deve gastar um tempo considerável planejando e pesquisando antes de seguir em frente a todo vapor. O planejamento adequado e a descoberta antecipada de fatos podem não apenas salvá-lo de muitas dores de cabeça no início, mas também podem significar a diferença entre um negócio bem-sucedido de atacado e um desastre monetário esperando para acontecer.

Neste artigo, forneceremos dez dicas para ajudar a guiá-lo ao longo do caminho à medida que você começa a planejar o seu negócio.

Eles são apresentados em ordem cronológica para que você possa usá-los como uma maneira de planejar as etapas adequadas ao longo do caminho. Lembre-se, o sucesso depende de muitos fatores – e o fator mais importante é a sua determinação e energia que você coloca para tornar seu negócio um sucesso!

Etapa 1: Pergunte a si mesmo por quê?

Por que você quer entrar no negócio de atacado? É porque você gostaria de trabalhar com outras empresas e fabricantes sendo o principal ponto de contato entre os dois? Ou é porque você acha que é uma maneira fácil de ganhar dinheiro rápido?

O atacado é um negócio exigente e pode exigir muito capital inicial, armazenamento, planejamento de logística e habilidades de atendimento ao cliente. Como o principal canal entre o fabricante e os varejistas, você pode lidar com centenas de milhares de unidades de mercadorias que precisam ser enviadas para todo o país em um instante. Os grandes varejistas geralmente pagam em um cronograma Net-10 ou Net-30, o que significa que o pagamento é feito após a entrega das mercadorias. O que você faria se um varejista não pagasse ou falisse antes de você receber o pagamento?

Etapa 2: estude sua concorrência

Não adianta entrar em um mercado onde já existem atacadistas estabelecidos e confiáveis ​​para um determinado produto. Os varejistas querem saber que têm uma fonte de fornecimento confiável que atende aos seus termos e muitas vezes não trocam os atacadistas por um produto estabelecido. Só porque você constrói o armazém não significa que eles virão.

Use sua Câmara de Comércio local, a Internet e até mesmo visite os varejistas para descobrir quais atacadistas existem em sua área. Se você quiser se especializar em um produto específico, entre em contato diretamente com o fabricante para saber quem lida com o atacado para eles já em sua região. Pode não haver nenhum em seu estado, ou pode haver três na rua.

Etapa 3: avalie sua situação financeira

O atacado pode exigir muito capital e despesas iniciais antes mesmo de você ver um centavo de receita. Você tem os recursos para gastar na criação de um relacionamento com um fabricante que provavelmente exigirá que você compre grandes quantidades deles? Você pode esperar até 30 dias para o pagamento? Você tem dinheiro para investir no frete de frete ou montar seu próprio serviço de entrega?

Certifique-se de olhar além dos custos de inicialização também. Funcionários, impostos, aluguel de imóveis e seguros são apenas algumas das coisas que você precisará considerar como custos contínuos.

Etapa 4: O Plano de Negócios

Um plano de negócios sólido é a base de qualquer negócio. Você precisa ter certeza de ter explicado o que pretende fazer e como pretende fazê-lo. Não apenas os bancos exigirão isso para financiamento, mas muitas vezes outras empresas com as quais você lida também desejarão vê-lo. Devem ser as diretrizes que você segue todos os dias em seu negócio para atingir as metas que estabeleceu.

Para esta parte, muitas vezes é aconselhável trabalhar com um advogado de negócios ou buscar aconselhamento profissional de serviços de consultoria de negócios.

Etapa 5: solicitar licenças, certificados fiscais e outros documentos necessários

Nada é tão certo quanto a morte e os impostos. Nos negócios não é diferente, com uma exceção. Como atacadista, você deverá pagar impostos e outras taxas ao seu estado e ao governo federal.

A única exceção é que você receberá o status de isenção de impostos para as mercadorias reais que você está movendo entre o fabricante e outros varejistas. Este pode ser um processo complicado e é tratado no nível estadual.

Novamente, para esta parte, você vai querer fazer uso extensivo de sua autoridade tributária estadual, bem como das Câmaras de Comércio locais. Um erro errado aqui pode acabar custando não apenas dinheiro, mas possivelmente todo o seu negócio.

Etapa 6: estabeleça suas instalações

Localização, localização, localização. As empresas devem existir em algum lugar e, como a maioria das coisas na vida, existem regras e regulamentos sobre onde elas podem estar. Você terá semi-reboques chegando ao seu local a todas as horas do dia e da noite? Você terá uma vitrine para os fornecedores e clientes visitarem? E quanto às necessidades de eletricidade, água e esgoto?

As leis de zoneamento existem para garantir que as estruturas certas acabem nos lugares certos. Ninguém quer um armazém ao lado deles em um bairro residencial. Trabalhe com agências imobiliárias comerciais para encontrar um local adequado para o seu negócio.

Etapa 7: estabeleça seus relacionamentos

Você tem as instalações, você tem as finanças – agora você tem alguém fornecendo seu produto ou clientes para esse produto? Trabalhe com fabricantes e varejistas para construir um relacionamento. Esta pode ser uma das partes mais difíceis da experiência e é onde a borracha cai na estrada.

Além disso, os relacionamentos vão além de seus clientes e fornecedores. É uma boa prática estabelecer relações com sua Câmara de Comércio local, associações de varejo e organizações trabalhistas em sua área.

Etapa 8: Marketing

Os atacadistas tradicionalmente não anunciam. Isso não significa que você não deva comercializar seu negócio para outras pessoas, afinal, como você pode construir relacionamentos ou expandir os existentes? Os guias de atacado são publicados e distribuídos para muitos varejistas e é para onde a maior parte de seus esforços de marketing será direcionada. A outra metade deve estar indo diretamente aos varejistas, encontrando-se com os compradores e descrevendo seus serviços. Só porque você tem um cliente hoje não significa que você pode descansar sobre os louros.

O marketing trabalha lado a lado com a construção de um relacionamento e sua manutenção.

Etapa 9: A máquina em movimento: atendendo seus clientes

O produto está chegando, os varejistas estão fazendo pedidos – estamos todos prontos, certo? Não exatamente. Levar o produto aos seus clientes, tirar dúvidas sobre prazos de entrega, trabalhar com fornecedores para obter novas linhas de produtos, é uma parte complexa e exigente do negócio.

No modelo de marketing “just in time” de hoje, um atraso no envio pode significar o fim de um relacionamento comercial. Você deve manter seus clientes informados sobre quaisquer alterações de status, preocupações com preços e movimentos de produtos de suas instalações para a doca de carga. É aqui que os sistemas de back-end entram em ação, mantendo registros e logs de todas as atividades com esse cliente. Não subestime o valor de um bom sistema de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM) para um negócio de atacado.

Etapa 10: Funcionários, Contas a Receber e Outros Assuntos Financeiros

Quando tudo estiver funcionando, seu próximo foco são as finanças do seu negócio. Os funcionários precisam ser contratados e demitidos. A folha de pagamento precisa ser cumprida. O dinheiro deve entrar e o dinheiro deve sair. Aqui você deve investir em talentos e serviços financeiros, caso ainda não os possua.

Um descuido pode significar a perda de centenas de milhares de dólares; um prazo de folha de pagamento perdido pode significar que todo o seu negócio é interrompido. É fundamental que você fique constantemente de olho nos livros e em seus gastos. Saiba quando apertar o cinto e saiba quando expandir.

DEIXE UMA RESPOSTA