Conhecendo Administração de Empresas

Para compreender melhor os caminhos da administração de empresas é preciso diferenciar alguns termos, produzindo objetivos estratégicos de mercado mais sólidos. Por isso, quando organização e instituição são tratadas pelo senso comum como sinônimos, estamos incorrendo em alguns erros.

A natureza dessas palavras na sociedade contemporânea possui aspectos a serem ressaltados para melhor compreender como a administração de empresas se modifica a medida que novos elementos são introduzidos. Compreender as estruturas internas do meio corporativo ajudará a perceber o quanto os conceitos precisam ser ressignificados. Neste post, entenda a diferença entre organização e instituição!

Organização

A organização pode ser entendida como a estrutura empresarial construída com fins específicos de mercado, tendo em vista a necessidade de consolidar objetivos de lucro e geração de novas receitas. O objetivo comum e declarado de uma organização passa pela consolidação de sua imagem, enquanto especialista em determinado tema.

A partir daí, fica mais fácil entender o aparato organizacional como fruto de uma escolha por alguns pontos centrais: divisão racional do trabalho, preocupação com produtividade e controle, monitoramento de resultados, relacionamentos impessoais, hierarquias formais, formação de conceitos de lealdade e transparência nos propósitos da empresa, e cooperação dirigida ao alcance de metas comuns.

Esse tipo de formação de mercado é a mais presente, pois muitas empresas focam sua atuação em desenvolver especialidades em determinado segmento e nele construir suas relações com os clientes, criando laços comerciais de constante fidelização.

Instituição

Já no caso de uma instituição, é preciso ressaltar o caráter social das ações desse tipo de empresa. Nela, valores mais amparados em mudanças sociais e culturais são criados e servem de guia às ações de seus integrantes. Normalmente, há uma missão geral a ser seguida e os clientes-patrocinadores desenvolvem uma relação legítima de colaboração, no intuito de promover campanhas e promoções diversas.

Nesse segundo caso, alguns valores se mostram mais relevantes, como: concentração de energia no conceito de efetividade, consolidação de padrões de comportamento para fortalecimento de uma cultura empresarial solidária, aspectos informais do trabalho diário se sobrepondo aos formais, carisma da autoridade, grande capacidade de promover união entre partes dissonantes e o gosto pela inovação.

Ainda é possível dizer que a instituição é um organismo com história, identidade e valores próprios, visando transmiti-los ao mercado e às outras instituições com a intenção clara de promover uma sociedade mais igualitária e justa. Nesse tipo de empresa, encontram-se exemplos, como ONGs, hospitais, universidades, escolas e órgãos públicos.

Desenvolvimento de uma organização institucional

Toda organização formal pode, com a consolidação de sua imagem no mercado, optar por um desenvolvimento de valores humanísticos que a levem ao patamar de uma instituição. Para tanto, é preciso preservar características básicas de identidade e saber uni-las ao desejo de cooperação e desenvolvimento social.

Uma organização institucional deve alcançar seus objetivos partilhados por meio da difusão de inovações e da adoção de tecnologias comuns com outras empresas do mercado de forma solidária e participativa.

Ricardo A. M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting, professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, Consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já atuou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Esperamos que nosso post o tenha ajudado a compreender melhor as diferenças entre organização e instituição no mercado do século XXI. Ficou com alguma dúvida? Compartilhe com a gente!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

*