Uma boa gestão de recursos humanos é capaz de identificar necessidades da empresa e também dos colaboradores, alinhando expectativas e atuações de modo a aumentar a aderência dos funcionários. No caminho dessa atuação, entretanto, surgem alguns obstáculos — alguns dos quais oferecidos pela gestão — e que prejudicam os resultados.

Veja a seguir quais fatores prejudicam a gestão de recursos humanos e como evitá-los.

Falta de autonomia

A autonomia consiste na capacidade de confiar na habilidade de um determinado profissional em executar a tarefa a qual foi designado. Isso não significa que o profissional deva agir de maneira totalmente sem monitoramento, mas, sim, que ele deve ser capaz de tomar suas próprias decisões.

Quando o profissional de uma equipe não tem autonomia ou quando a própria equipe de gestão de pessoas é pouco autônoma, existe pouco que se pode fazer em relação aos recursos humanos.

Em níveis moderados, a descentralização é importante para que possam ocorrer as melhorias desejadas nesse sentido.

Excesso ou escassez de feedback

O feedback consiste em dizer a um determinado profissional o que está sendo feito corretamente e o que não. Se um colaborador ou mesmo se a gestão de recursos humanos

Se o feedback nunca é dado, o profissional não sabe por onde seguir. Se retorno demais é fornecido, não há tempo hábil para colocar em prática as mudanças anteriormente observadas como necessárias.

Assim, para a gestão de recursos humanos funcionar corretamente é necessário que haja feedback dado pelos gestores em níveis moderados, de modo que o próprio setor de recursos humanos saiba qual a direção a ser seguida nesse sentido.

Acompanhamento mínimo de talentos

Avaliações de desempenho são importantes porque, na comparação, dão uma ideia de como o profissional está progredindo. Sem isso, é impossível saber o que ainda é necessário fazer ou onde é preciso atuar para que os resultados pretendidos sejam alcançados.

Realizar um acompanhamento esporádico ou sem consistência, portanto, é um fator que atrapalha o sucesso da gestão de recursos humanos.

É preciso analisar o desenvolvimento de talentos e acompanhar de perto novas necessidades, dificuldades e pontos fortes, de modo a fazer a melhor alocação de recursos.

Indisponibilidade de recursos

Por falar em recursos, é impossível fazer uma boa gestão de recursos humanos se não existe o mínimo oferecido para isso. Condições seguras e adequadas de trabalho, por exemplo, são o mínimo que se espera para que os colaboradores possam se desenvolver plenamente.

Além disso, se não há recursos para oferecer treinamentos, capacitações e mesmo medições de resultados, a atuação desse setor se torna muito menos assertiva, prejudicando os resultados da empresa de uma maneira geral.

Comunicação interna ineficiente

Um dos mais importantes pilares de uma gestão de recursos humanos de sucesso é a comunicação interna. Sem ela, não é possível que colaboradores falem com gestores ou que gestores falem com o setor de recursos humanos.

Ruídos nessa comunicação levam a análises e decisões incorretas que prejudicam o negócio — como ao não valorizar um colaborador chave ou fazer os investimentos incorretos no desenvolvimento de talento.

Assim, é muito importante que a comunicação seja aberta, clara e feita de maneira constante para que a gestão de recursos humanos seja efetiva.

Algumas práticas e comportamentos são prejudiciais para a gestão de recursos humanos, como o desequilíbrio de feedback ou a falta de comunicação. Conhecendo e corrigindo esses erros, a atuação se torna mais efetiva e mais benéfica para o negócio.

Ricardo A. M. Barbosa é diretor executivo da Innovia Training & Consulting, professor de programas de pós-graduação em conceituadas instituições de ensino, Consultor em Gestão de Projetos há 15 anos e já atuou como executivo em grandes empresas como Ernst & Young Consulting; Wurth do Brasil; Unibanco; Daimler Chrysler.

Em sua realidade, que outros fatores também atrapalham a sua gestão de recursos humanos? Comente e compartilhe seus desafios.

DEIXE UMA RESPOSTA

*